editora Escala
 

Filosofia  
 
 
 

 

 
Abordagens macrossociais e quantitativas
Sociologia da infância
A abertura no campo das idéias sociológicas reservado às crianças possui uma atenção específica e discute o tema enquanto categoria e fenômeno social
por FABIANA DE OLIVEIRA

O ADULTO PRECISA se tornar um 'adulto atípico'¹ para ser aceito no grupo de crianças e tentar compreender seus mundos, suas culturas, sua forma de compreensão do mundo, ou seja, sair de uma lógica adulta para entrar na lógica da criança. Essa mudança de ênfase na questão metodológica, com esse movimento de 'dar' voz às crianças ' creditar suas falas, como válidas, pode "resgatá-las do silêncio e da exclusão, e do fato de serem representadas, implicitamente, como objetos passivos, ao mesmo tempo em que o respeito por seu consentimento informado e voluntário ajuda a protegê-la de pesquisas encobertas, invasivas, exploradoras o abusivas" (Alderson, 2005:423).

Delgado e Müller (2005:354) levantam as principais dificuldades que precisam ser ultrapassadas e que estão relacionadas nas pesquisas com crianças: fugir da lógica adultocêntrica para buscar os significados que as crianças atribuem ao mundo e não a perspectiva do adulto; a entrada no campo, considerando que as crianças são sujeitos ativos, portanto, não objeto de pesquisa, mas sujeitos desse processo, são investigadoras também; e, por último a questão da ética na pesquisa com as crianças (veja quadro Metodologia de pesquisa ).

IMAGENS: SHUTTERSTOCK
O adulto precisa se tornar um "adulto atípico" para ser aceito no grupo de crianças e tentar compreender seus mundos, suas culturas, sua forma de compreensão do mundo, ou seja, sair de uma lógica adulta para entrar na lógica da criança

Podemos situar a pesquisa de Florestan Fernandes como o pioneiro nesses estudos sobre a cultura da infância

A Sociologia da Infância no Brasil é um campo que está sendo delineado aos poucos com algumas pesquisas e universidades de referência na discussão sobre o tema. Podemos situar a pesquisa de Florestan Fernandes como o pioneiro nesses estudos sobre a cultura da infância com o seu trabalho denominado As trocinhas do Bom Retiro, mas ainda há um longo caminho a ser percorrido para que as nossas pesquisas realmente reconheçam a criança como este ator social e co-participante da investigação e não somente objeto da pesquisa.

REFERÊNCIAS

ALDERSON, Priscilla. Crianças como pesquisadoras: os efeitos fos direitos de participação na metodologi da pesquisa. In:Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 91, p.419- 442, Maio/Ago. 2005.

CORSARO. Willian. Entrada no campo, aceitação e natureza da participação nos estudos etnográficos co crianças pequenas. In: Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 91, p.443-464, Maio/Ago. 2005.

DELGADO, Ana Cristina Coll & MÜLLER, Fernanda. Sociologia da Infância: pesquisa com crianças. In: Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 91, p.351-360, Maio/Ago. 2005.

FERNANDES, Florestan. As "trocinhas" do Bom Retiro" in: Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1979. p. 153-258 JAMES, Allison & JAMES, Adrian L. Constructing Childhood: theory, policy and social practice. New York: Palgrave Macmillan. 243 p. 2004.

MOLLO-BOUVIER, Suzanne. Transformação dos modos de socialização das crianças: uma abordagem sociológica. In: Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 91, p.391-404, Maio/Ago. 2005.

MONTANDON, Cléopâtre. Sociologia da infância: balanço dos trabalhos em língua inglesa. In: Cadernos de Pesquisa, n.112, p.33-60. Mar/2001.

PLAISANCE, Eric. Para uma sociologia da pequena infância. In: Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 25, n. 86, p.221-241, Abril. 2004.

PROUT, Alan. The future of childhood: towards the interdisciplinary study of children. Great Britain: RoutledgeFalmer. 167p. 2005.

QUINTEIRO, Jucirema. Infância e Educação no Brasil: um campo de estudos em construção. In: FARIA, Ana Lúcia Goulart de; DEMARTINI, Zeila de Brito Fabri & PRADO, Patrícia Dias. Por uma Cultura da Infância. Campinas (SP): Editora Autores Associados. 2a ed. p.19-48. 2005.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Gerações e Alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. In: Revista Educação & Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 91, p.361-378, Maio/Ago. 2005.

______________ Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, V. & SARMENTO, M. J. (orgs). (In) Visibilidade da Infância. Rio de Janeiro: Vozes. p.01-20. 2006. SGRITTA, Giovanni B. Inconsistencies: childhood on economic and political agenda. Childhood. 4 (4): 375-404. 1997.

SIROTA, Régine. Emergência de uma sociologia da infância: evolução do objeto e do olhar. In: Cadernos de Pesquisa, n.112, p.07-31. Mar/2001.


 
FABIANA DE OLIVEIRA é mestre e doutoranda em educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Possui estágio de Doutoramento na Universidade do Minho (Portugal).

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3 | 4

 

 

 

Assinaturas
 
Assine as publicações do núcleo Ciência & Vida.
Matérias, novidades acadêmicas, reportagens e muito mais.
Filosofia História Sociologia Psique
 
Edição nº 55
SUMÁRIO DA EDIÇÃO
MATÉRIA DE CAPA
REPORTAGENS
QUADRO NEGRO
SOCIÓLOGO DO MÊS
EDIÇÕES ANTERIORES
EXPEDIENTE
FILOSOFIA
LEITURAS DA HISTÓRIA
PSIQUE
SOCIOLOGIA
AGENDA
ARTIGOS
 
Busca
Buscar
 
 
Newsletter
Cadastre-se e fique atualizado diariamente com nosso conteúdo.
  OK
 
 
Institucional
Publicidade
Adicionar Favorito
Links Úteis
 
 
Legenda
O acesso ao conteúdo do portal Ciência&Vida é identificado por cards.
Assinante
Cadastrado



Faça já a sua assinatura!

Psique

Desvende a mente humana

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Sociologia
Um olhar sobre o mundo que no para.

Assine por 2 anos
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Filosofia

Pensamentos universais de forma objetiva e sem complicaes.

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Leituras da Histria

Fatos e personalidades que deixaram suas marcas.

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!


  ContentStuff - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo - CMS